Quem somos HUGOL


A Associação Goiana de Integralização e Reabilitação– AGIR, organização social gestora do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo – CRER e do Hospital Estadual de Dermatologia Sanitária Santa Marta – HDS, firmou contrato com o Estado de Goiás para a gestão do Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira – HUGOL no dia 18 de julho de 2014.
A unidade foi inaugurada no dia 06 de julho de 2015 com uma estrutura física de 71.165 m² de área construída, distribuídos em 21 salas de centro cirúrgico; previsão para 514 leitos, sendo 86 de UTI; 5 pavimentos de enfermarias para internação; além de 17 leitos para vítimas de queimaduras (7 de UTI). Atualmente 389 leitos já estão em funcionamento, dentre eles 76 leitos de UTI. O HUGOL apresenta um perfil de alta e média complexidade, com atendimentos em urgência e emergência.
O hospital possui banco de sangue próprio, ambulatório para atendimento aos pacientes que passaram por cirurgias e um centro de diagnósticos de alta precisão e complexidade para a realização de exames laboratoriais e de imagem. O HUGOL já conta com mais de 2 mil colaboradores para atendimento 100% via Sistema Único de Saúde (SUS).

Estrutura Administrativa HUGOL



Identidade Organizacional


Perfil e Acesso ao Atendimento


O HUGOL é uma unidade de saúde de alta e média complexidade em Urgência e Emergência, com foco em traumatologia, queimaduras e medicina intensiva, e compõe a Rede Hugo, com acesso regulado. É um hospital de assistência, ensino, pesquisa e extensão universitária, com banco de sangue próprio.

• Exames disponíveis:
Centro de diagnósticos de alta precisão e complexidade para a realização de exames laboratoriais e de imagem, incluindo tomografia e endoscopia.

• Especialidades médicas:
Traumatologia: bucomaxilo, cirurgia geral e vascular, urologia, ortopedia, neurocirurgia, medicina intensiva e traumatologia pediátrica. Atendimento especializado para queimados. Clínica médica e cardiológica.

• Acesso ao atendimento:
̶ Pacientes resgatados pelo Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu);
̶ Pacientes referenciados pela central de regulação da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia, através dos seguintes locais: Centro de Referência em Ortopedia e Fisioterapia (Crof); Cais: Campinas, Curitiba, Cândida de Moraes, Finsocial, Goiá e Guanabara; Coordenação de Urgências de Trindade, Inhumas, Goiás, Iporá e São Luís de Montes Belos.
̶ Demanda espontânea em casos graves. Não se enquadrando no perfil de atendimento do HUGOL, o paciente será referenciado para outras unidades.


HUGOL em Números



Núcleo de Comunicação


O Núcleo de Comunicação (NCOM) do HUGOL funciona de segunda a sexta-feira, em horário comercial, e está disponível para atendimento à imprensa através dos seguintes contatos:
Telefone: (62) 3270-6300
E-mail: comunicacao@hugol.org.br

Banco de Sangue


Doe sangue, doe vida!

• O HUGOL possui banco de sangue próprio e realiza captações nos seguintes horários:
̶ Segunda a sexta-feira, das 07h às 18h30;
̶ Sábado, das 07h às 12h.

• Condições básicas para doar sangue:
̶ Sentir-se bem e saudável;
̶ Ter entre 16 e 69 anos de idade;
̶ Ter peso acima de 50kg;
̶ Apresentar documento com foto, válido em todo território nacional.

É importante lembrar que a primeira doação deve ser feita antes dos 60 anos de idade. Doadores entre 16 e 17 anos devem apresentar autorização dos pais ou responsáveis legais. Pessoas em tratamento médico e dentário, que usem medicamentos, que tenham feito viagens recentemente, entre outros critérios, também serão avaliadas na ocasião da entrevista pré-doação.

• Recomendações para o dia da doação:
̶ Nunca doar sangue em jejum;
̶ Fazer um repouso mínimo de 6 horas na noite anterior à doação;
̶ Não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anterioresà doação;
̶ Evitar fumar por, pelo menos, 2 horas antes da doação;
̶ Evitar alimentos gordurosos nas 3 horas antecedentes à doação;
̶ Devem interromper as atividades por 12 horas após a doação as pessoas que exercem profissões como: pilotar avião ou helicóptero, conduzir ônibus ou caminhões de grande porte, subir em andaimes e praticar paraquedismo ou mergulho;
̶ Se apresentar sintomas de infecção (febre, calafrios, diarreia, vomito) até 15 após a doação; ou até 30 dias, no caso de Malária, avisar o banco de sangue por telefone.

Voluntariado


O HUGOL possui um programa de voluntariado para quem tem o interesse de doar seu tempo de maneira altruísta e solidária, tornando-se um voluntário do hospital. São diversas atividades que podem ser realizadas na unidade, com princípio básico de auxiliar no relacionamento e no envolvimento com pessoas.
Para candidatar-se ao voluntariado, entre em contato pelo telefone: (62) 3270-6477 ou e-mail multi@hugol.org.br.
Horário de atendimento: De segunda a sexta-feira, das 07h às 11h e das 12h às 16h.

Ouvidoria


• SAU/Ouvidoria
Em caso de dúvidas, elogios, reclamações ou sugestões, entre em contato com o SAU/Ouvidoria por meio dos canais de atendimento.
E-mails: sau@hugol.org.br/ouvidoria@hugol.org.br
Telefone: (62) 3270-6870/6460
Presencial: Ambulatório do HUGOL (bloco C)
Horário de atendimento: De segunda a sexta-feira, das 08h às 18h.

Programas Institucionais


Nova Emergência do HUGOL - Metodologia Lean




Um dos grandes desafios da saúde pública no Brasil é evitar a superlotação e garantir um atendimento resolutivo aos pacientes do SUS, dificuldade que também foi enfrentada pelo HUGOL, mesmo sendo uma unidade recém-inaugurada. Para solucionar essa situação, o hospital buscou sua inserção no projeto "Excelência Operacional nas Emergências do SUS", do Ministério da Saúde, com consultoria do Hospital Sírio-Libanês.
O projeto teve duração de agosto a dezembro de 2017, com as seguintes etapas: diagnóstico, desenvolvimento de planos de ação, melhoria dos processos, estabelecimento de protocolos clínicos e aprendizado com as boas práticas.
O gerente do projeto "Excelência Operacional nas Emergências do SUS", Ricardo Bertolucci, responsável pelos seis hospitais participantes na consultoria, explica que "esse projeto foi uma demanda do Ministério da Saúde junto ao Hospital Sírio-libanês com o objetivo de reduzir o problema de superlotação nas emergências do SUS. Como o HUGOL é um hospital recente, o Ministério entendeu que seria a melhor escolha".
De acordo com o Dr. Welfane Cordeiro, consultor e gerente técnico do projeto, "hoje o que chamamos de superlotação do serviço de urgência vem a partir de um consenso que foi feito em Boston (EUA).
A superlotação não é um problema só do Brasil: aqui temos nossas peculiaridades, mas é um problema que está acontecendo em praticamente todos os serviços de urgências do mundo e os profissionais estão tentando enfrentar essa situação através de novas metodologias e da utilização de métodos de outras áreas. Estamos trazendo algumas experiências internacionais e aplicando-as nesse projeto".
Além do HUGOL, que representou Goiás e o Centro-Oeste do país, outras cinco unidades participaram do projeto, hospitais localizados em São José (SC), Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG), Palmas (TO) e São Paulo (SP). Marco Bravo, consultor de excelência operacional do Sírio-Libanês, conta que "o HUGOL teve um excelente desenvolvimento e progresso na execução das iniciativas, o que expressa muito bem sua capacidade de gestão e motivação no projeto. Os indicadores estão avançando bastante e a capacidade operacional está definida e controlada".
O médico e consultor de expertise em emergências, Dr. Luiz Ronaldo Huber, complementa que "foram implantadas várias melhorias no processo com base nas ferramentas da metodologia Lean. Sabíamos que o HUGOL tem grande potencial, capacidade gestora e dedicação da equipe em nível gerencial e operacional. Trabalhando com o Ministério da Saúde, juntamente ao Sírio-Libanês, um hospital de excelência e referência em atendimento, isso tem muito a somar".

Atendendo mais e melhor
Luiz Antônio Fernandes Santos, 18, deu entrada na Emergência do HUGOL no dia 19 de novembro. Vítima de um acidente de trânsito, ele conta que o atendimento foi rápido e que não esperava essa qualidade em um hospital público. O paciente narrou que ficou com muito medo devido à gravidade do acidente, pois estava perdendo muito sangue, mas a assistência realizada pelos profissionais o fez se sentir mais seguro.
Nessas ocorrências, além do próprio paciente, as mães ficam muito inseguras e com receio das consequências do acidente. Lúcia Helena Clementina dos Santos, mãe do jovem adulto, conta: "Foi um susto imenso, eu imaginei que ele ia ficar em filas de espera, como em outros hospitais que a gente vê.
Imaginei que ia ser muito complicado. Surpreendi-me muito, pois rapidamente ele já estava em atendimento no hospital. Fiquei bem mais tranquila. Estou encantada, é um hospital excelente".
Luiz Antônio é mais um dos vários pacientes acolhidos na Emergência do hospital. De julho de 2015 a junho de 2017, em dois anos de funcionamento do HUGOL, já foram realizados mais de 118 mil atendimentos na Urgência e Emergência, resultando em uma média mensal de 4.952 atendimentos dedicados a adultos e crianças, vítimas de traumas e urgências clínicas. A partir do segundo semestre de 2017, com a melhoria nas rotinas intra-hospitalares e o aumento na capacidade de leitos, o hospital passou a executar uma média mensal de 6.366 atendimentos, considerando os dados de julho a outubro de 2017, o que representa um aumento de 29%.
Trevenzol ressalta que a consultoria foi uma grande oportunidade para o hospital, que recebeu a capacitação através da experiência do Sírio-Libanês: "Em outubro colocamos em prática o piloto da reformulação de nossos processos assistenciais e de apoio na Emergência do HUGOL. Os resultados iniciais demonstram uma maior efetividade no atendimento, possibilitando atender mais pessoas com maior qualidade".

Novos fluxos
As pessoas inconscientes, em choque, com parada cardiorrespiratória, vítimas de acidentes de trânsito ou em urgências clínicas, geralmente resgatadas pelo SAMU e pelo Corpo de Bombeiros (SIATE), entram diretamente para os boxes da Emergência. Após a assistência inicial imediata, os pacientes já seguem para os exames, procedimentos cirúrgicos ou UTI, a depender da conduta estabelecida.
Pacientes que chegam andando, com bom nível de consciência, entram pela recepção, retiram uma senha no totem, fazem o cadastro e são acolhidos. A primeira etapa é a classificação de risco, momento em que o paciente é identificado a partir de sua gravidade por um profissional enfermeiro. Depois o paciente é triado por um profissional médico, que avalia quem deve seguir com o atendimento hospitalar e quem será encaminhado para a atenção básica de saúde.
A assistência integral e todos os procedimentos necessários para o diagnóstico e condução terapêutica do paciente ocorrem na Sala de Atendimento. Após a realização de todos os exames necessários, a Sala de Decisão Clínica é o local em que o paciente espera a reavaliação e conduta final em relação a sua assistência na Emergência. Depois desse procedimento, o paciente pode receber alta hospitalar, ficar em observação ou aguardar procedimentos de internação ou cirúrgicos nas unidades de Observação, ou mesmo encaminhamentos referenciados externos – quando o paciente não é perfil da unidade.
"Para implementar esse novo fluxo, com tempos meta tão desafiadores, realizamos diversos estudos e análises para entender como poderíamos criar espaços de atendimento e caminhos assistenciais eficientes, em que os profissionais se movimentam, ritmados, para ofertar o melhor atendimento possível ao paciente", esclarece Trevenzol.
Dentre as melhorias sistêmicas desenvolvidas pela equipe do hospital para impactar no aperfeiçoamento da Urgência e Emergência, também podem ser destacadas as ações aplicadas nos processos de assistência inicial aos pacientes, o tempo de giro dos leitos de internação, com altas hospitalares mais eficientes, os procedimentos cirúrgicos, o núcleo interno de regulação (NIR) e a admissão de pacientes nas unidades de terapia intensiva (UTIs).

Indicadores de desempenho
Um dos principais indicadores utilizados para analisar a situação da Emergência do HUGOL foi o NEDOCS, ferramenta internacional para o estudo de superlotação das emergências. Por meio de diversos parâmetros, como a taxa de ocupação dos leitos, número de pacientes em ventilação mecânica, número de leitos operacionais etc, a ferramenta calcula um índice do comportamento da emergência da unidade. Em agosto e setembro, o HUGOL demonstrava uma pontuação de 250 e 267, respectivamente, demonstrando que estava além do limite adequado, em situação de superlotação. Após as mudanças intra-hospitalares, a pontuação caiu para 115 e 101 em outubro e novembro, resultando em uma redução de 62% da superlotação, o que denota que atualmente está dentro dos limites considerados adequados, resultado maior que a própria meta do projeto, que era a diminuição de 30% do NEDOCS mensal.
O LOS, compreendido como o tempo médio do atendimento na Emergência, reduziu em 55% para pacientes sem internação e 58% para pacientes com internação. Ou seja, como exemplo, em agosto desse ano, os pacientes sem internação tinham um atendimento que durava um tempo médio de 7,35 horas e em novembro passou a ser 3,27 horas.
O tempo médio de permanência no hospital também reduziu em consequência da melhoria nos processos internos para a condução eficiente do plano terapêutico: de 9,15 dias, em agosto, caiu para 6,64 dias, em novembro, demonstrando redução de 27%. Diversas ações de monitoramento e melhorias também foram feitas no processo de alta, que passou de 10,33 horas para 3,35 horas, reduzindo 68%, permitindo que um maior número de pessoas possam ser internadas, em menos tempo.
O Diretor Geral do HUGOL ressalta que os principais pontos alcançados com o projeto foram: a melhora do tempo de passagem do paciente pelo serviço de Urgência e Emergência; a redução do tempo médio de permanência; o aumento do giro de leitos; a redução da superlotação, possibilitando uma assistência com maior qualidade; culminando, por fim, na satisfação dos usuários e também dos colaboradores atuantes na unidade. "Todas as unidades participantes do projeto alcançaram resultados significativos, entretanto, percebemos que os avanços obtidos pelo HUGOL superaram as expectativas, foram expressivos", explica Trevenzol.

Orientações para Visitantes


• Informações para familiares e amigos de pacientes:
̶ Não é permitido adentrar a unidade hospitalar com alimentos;
̶ A higienização das mãos colabora para a segurança do paciente e do visitante/acompanhante;
̶ É proibido fumar nas dependências do hospital;
̶ É proibido fotografar/filmar no hospital;
̶ Para diminuir o risco de contaminação e segurança do visitante/acompanhante, são recomendados: roupas que cubram o corpo; sapatos fechados, que cubram o peito do pé; cabelos longos preferencialmente presos; bem como evitar o uso de adornos, brincos, pulseiras, relógios, anéis etc.;
̶ Nas UTIs, não é permitido o uso de sapatos de salto alto (agulha).

• Acompanhantes:
̶ O paciente tem direito a um acompanhante durante o tempo que estiver internado;
̶ Só leve objetos de uso pessoal para o paciente quando solicitado;
̶ A troca de acompanhantes só é permitida nos horários estabelecidos, devendo permanecer sempre próximo ao paciente, cumprindo as normas do hospital e orientações da equipe assistencial.
̶ A família deverá informar na recepção quais pessoas são autorizadas para acompanhar o paciente.

• Horários para troca de acompanhantes ̶ Das 07h às 08h; ̶ Das 19h às 20h.

• Visitantes:
̶ Todos devem chegar antes do horário da visita e se dirigir à recepção central, ao lado do auditório, munidos de documentos pessoais para identificação;
̶ As visitas são realizadas apenas nos horários estabelecidos;
̶ A visita nas UTIs é diária, por até duas pessoas nas unidades Adulto e Queimados e por até uma pessoa na unidade Pediátrica;
̶ Nas enfermarias, a visita é de uma pessoa por dia.

Horários de visitas (Todos os dias) Unidades de Terapia Intensiva:
• UTI pediátrica: 13h
• UTI adulto "A": 13h
• UTI adulto "B": 14h
• UTI adulto "C": 15h
• UTI Queimados: 15h30
• UTI adulto "D": 15h30;
• UTI adulto "E": 16h
• UTI adulto "F": 17h

Internações:
• Clínica pediátrica: 13h
• Clínica de cardiologia: 14h30
• Clínica de especialidades: 14h30
• Clínica médica: 15h30
• Clínica de queimaduras: 15h30
• Clínica cirúrgica: 16h30
• Clínica ortopédica: 17h

• Boletim médico das UTIs aos familiares:
̶ Das 08h às 08h30;
̶ Das 20h às 20h30.

Telefone: (62) 3270-6300.

Notícias HUGOL


Como Chegar HUGOL




Endereço: Avenida Anhanguera, 14527 - Setor Santos Dumont, Goiânia - GO, 74463-350
Contato : (62) 3270-6300